23/12/2015
Opte pelo silêncio
...em coisas que não valem sua tristeza.
Se existe uma coisa que decepciona qualquer ser humano é a injustiça.
Quando me refiro ao ser humano e a injustiça, faço questão de detalhar a amplitude do significado de ambas palavras. Vamos lá...
 
Ser humano é uma palavra que vem do latim, e significa homem como espécie. O ser humano é diferente dos outros animais pelo fato de ser racional, ou seja, pensar. É justamente nesse aspecto, que cada vez mais, ainda me surpreendo com tantas atitudes de um ser conceituado como “racional”.
 
A segunda palavra a ser conceituada é a injustiça. Injustiça significa, condenar ou até mesmo julgar uma pessoa de forma errada, em relação a diversas características, sejam elas econômicas, social, respeito, consideração, etc.
 
E é justamente nesse ponto que desejo “detalhar”, analisem bem as aspas...
O fato é muito simples se unirmos ambos os conceitos: Ser humano sem pensar = injustiça.
E, o que existe de pessoas agindo sem pensar, ultrapassa o espaço de qualquer calculadora. O resultado da injustiça são os piores, e não cabe a mim dizer quais são...afinal, “cada caso é um caso, e cada mente uma sentença”.

Das injustiças que passei, optei pelo silêncio. 
Certa vez, li diversas frases sobre o silêncio, e algumas me chamaram atenção, compartilho com vocês: 
“O problema do silêncio é que ele fala muito”;
“Só fale, quando for para melhorar o seu silêncio”;
“A melhor resposta aos tolos é o silêncio do sábio”;
“Se desejar testar o tempo ao que for injusto, opte pelo silêncio”.
O intuito ao começar essa escrita, era “falar/escrever” mais sobre ser humano e injustiça, porém...
xiiiiiiiiiiiiiii (silêncio) ... eis que vou testar o tempo
.





* Iule Vargas é Jornalista e Professora Universitária, atualmente é estudante de Mestrado,
Graduada em Comunicação Social - Jornalismo, Pós Graduada em Metodologia do Ensino Superior.


 

Fonte: Iule Vargas