01/07/2016
Terminal de integração de Porto Velho entra em fase de teste operacional
A previsão da Semtran é de que passem pelo local cerca de 60 mil pessoas por dia. Atualmente, o sistema de transporte coletivo da capital opera com 180 ônibus, 160 circulando e 20 de reserva, em 52 linhas.

  Foto:Roseval Guzo/PMPV/Reprodução
O Terminal de integração dos ônibus das linhas urbanas de Porto Velho entrou em fase de teste operacional nesta quinta-feira, 30. Instalado no local onde funcionava o Shopping Popular, essa etapa é necessária para que o município tenha o diagnóstico do impacto que a implantação do terminal no local provocará nas regiões do entorno.

Atualmente, o sistema de transporte coletivo da capital opera com 180 ônibus, 160 circulando e 20 de reserva,  em 52 linhas. Mas nesse primeiro momento, nem todas as linhas passarão pelo terminal e a previsão da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (Semtran) é de que passem pelo local cerca de 60 mil pessoas por dia. 

"Esse espaço foi construído para ser um shopping popular e para trazer o terminal para cá ele teve que ser adaptado e ainda estamos fazendo adequações para que ele esteja funcionando cem por cento quando for inaugurado. E durante essa fase de testes vamos ver o que precisará ser melhorado para  atender a população e diminuir o impacto na região”, disse o secretário da Semtran, Antônio Jorge dos Santos.

O prefeito Mauro Nazif lembrou que para a instalação do terminal no local, que foi um dos mais prejudicados com a enchente do rio Madeira de 2014, a prefeitura gastou R$ 250 mil. Mas se a obra fosse feita por meio de licitação para contratar uma empresa, o terminal não sairia por menos de R$ 6 milhões, uma economia de 2.300%.

“Aqui são mais de três mil metros de área construída. Conseguimos fazer essa obra com custo reduzido. Isso é valorizar o dinheiro público. Com essa economia que estamos conseguindo, a prefeitura  está realizando várias obras na capital. Esse princípio de economicidade que adotamos tem feito a diferença”, explicou o prefeito.

Com a instalação do terminal de integração, o passageiro passará a pagar agora apenas uma passagem para onde se deslocar. Por exemplo, se o usuário mora na zona sul e trabalha na zona leste, basta ele pegar o coletivo no bairro descer no terminal e entrar no ônibus que vai para a zona leste sem precisar pagar outra passagem. “Mas ele precisará ficar dentro da área do terminal, se ele sair, será cobrada outra passagem”, explicou o secretário da Semtran. 





 



Fonte: PMPV