27/06/2018
Seleção Brasileira faz 2 a 0 na Sérvia, garante a liderança do grupo e vai pegar o México nas oitavas
Jogando no estádio Spartak, em Moscou, o Brasil enfrentou a Sérvia e venceu pelo placar de 2 a 0. Com o resultado, os comandados de Tite ficaram com a primeira posição, já que a Suíça ficou no empate com a Costa Rica, e vão encarar o México nas oitavas.
A Seleção Brasileira superou mais um obstáculo nesta quarta-feira (27) e definiu o caminho que terá que seguir em busca do hexa na Rússia. Jogando no estádio Spartak, em Moscou, o Brasil enfrentou a Sérvia e venceu pelo placar de 2 a 0. Com o resultado, os comandados de Tite ficaram com a primeira posição, já que a Suíça ficou no empate com a Costa Rica, e vão encarar o México nas oitavas de final da Copa do Mundo.

Um dos responsáveis pelo triunfo verde amarelo na terceira rodada do grupo E foi o volante Paulinho, que marcou seu primeiro gol na Copa do Mundo após grande lançamento de Philippe Coutinho, outro destaque da Seleção na partida. Neymar, que vinha sendo alvo de críticas, também teve uma boa atuação diante da Sérvia.

O duelo entre Brasil e México será disputado na próxima segunda-feira (2), às 11 horas, em Samara.

Baixa na lateral

A Sérvia iniciou a partida pressionando o Brasil no campo de defesa. No entanto, a primeira oportunidade de gol foi verde e amarela. Logo aos cinco minutos, Coutinho lançou Gabriel Jesus dentro da área e o camisa 9 finalizou em cima do goleiro. A jogada, porém, não valia mais, já que o atacante estava em posição irregular.

Após a jogada, a Seleção Brasileira acabou sofrendo uma baixa importante. Marcelo sentiu e informou Tite que não conseguiria seguir em campo. O lateral-esquerdo deixou o gramado desolado e foi substituído por Filipe Luis. A saída do camisa 12 foi sentida pelos companheiros, que ficaram acuados no campo de defesa.

Com um time alto, a Sérvia passou a explorar os lançamentos longos e bolas levantas na área. Mitrovic era o jogador mais acionado, dando trabalho para Thiago Silva e Miranda, e por vezes ao goleiro Alisson que saia de sua meta para afastar o perigo com as mãos.

Controle do jogo

Aos poucos o Brasil conseguiu colocar a bola no chão e envolver os sérvios. E as primeiras chances de gols surgiram. Aos 26, Neymar tabelou com Gabriel Jesus e chutou cruzado para boa defesa de Stojkovic. Três minutos depois, foi a vez do camisa 9 entrar na área, driblar o zagueiro e finalizar. Mas, o chute saiu travado.
por taboola

A insistência verde e amarela deu resultado. Aos 35, Philippe Coutinho faz um belo lançamento pelo meio da defesa sérvia e Paulinho, em uma de suas especialidades, surgiu na cara do goleiro e dar um toque por cima. 1 a 0 para o Brasil, que segurou a vantagem no placar até o intervalo da partida.

Pressão adversária

As seleções voltaram sem modificações para o segundo tempo. Com os resultados parciais deixando o Brasil na liderança do grupo E, os comandados de Tite valorizavam a posse de bola e trocavam passes pelo meio.

E dessa maneira, a Seleção Brasileira conseguiu controlar até aos 15 minutos da etapa final. O primeiro grande susto da Sérvia saiu aos 16, quando Alisson cortou mal um cruzamento da direita e mandou a bola na cabeça de Mitrovic. O atacante finalizou, mas a bola bateu em Thiago Silva e voltou para o goleiro verde e amarelo.

O lance animou os europeus, que seguiram no campo de ataque, ensaiando uma pressão sobre o Brasil. Milinkovic-Savic e Mitrovic eram os jogadores que mais levavam perigo. O camisa 20 arriscando chutes de longe e o camisa 9 por cima.

Mudança na hora certa

Para tentar retomar o controle do jogo, Tite promoveu a entrada de Fernandinho no lugar de Paulinho. Mas, antes que o volante mudasse algo na partida, o Brasil conseguiu ampliar a vantagem. Aos 23, em cobrança de escanteio feita por Neymar, Thiago Silva subiu mais alto que a marcação e mandou para o fundo da rede.

O gol deixou a classificação brasileira encaminhada e os sérvios cada vez mais distante das oitavas de final, que mesmo com as mudanças promovidas pelo técnico Mladen Krstajic não tiveram forças para reagir. O Brasil voltou a trocar passes no meio, ditando o ritmo do jogo, sem sofrer mais. Final, 2 a 0 e festa verde e amarela em Moscou.






 

Fonte: Jovem Pan