19/06/2018
Porto Cai N’Água é reinaugurado pela prefeitura de Porto Velho
A obra, orçada em R$ 3,8 milhões, foi realizada com verba conquistada junto ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e foi coordenada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) do Amazonas.
O terminal hidroviário Porto do Cai N ´Água, um dos mais importantes portos da região Amazônica, foi reinaugurado na manhã da última sexta-feira (15) pelo prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB).

Localizado, no bairro Baixa União, na margem direita do rio Madeira, o terminal foi reestruturado e já está em pleno funcionamento. O serviço estava previsto para ser concluído em julho, mas com uma força tarefa, foi antecipado em um mês.

Durante a cerimônia de reinauguração, que contou com a participação de autoridades políticas, administrativas e militares, o prefeito lembrou que o recurso foi negociado por ele e com a intervenção do deputado federal Luiz Cláudio (PR).

“Os cabos de sustentação foram se rompendo após a enchente histórica de 2014 e a Marinha interditou o Porto. No ano passado, em virtude da inauguração do viaduto da Rua Três e Meio, convidei o ministro da época, Maurício Quintela, para visitar o Porto Cai N'Água. Depois de muita negociação os recursos foram entregues e, agora, estamos devolvendo este equipamento para a população”, explicou Hildon Chaves.

Paralelo a recuperação do terminal, a prefeitura realizou trabalho de limpeza, instalação de iluminação, recuperação das vias e instalação de sinalização de trânsito nas redondezas, a fim de dar segurança ao embarque e desembarque de passageiros e mercadorias.

O vereador Jurandir Bengala (PR), prestigiou a solenidade de reinauguração do Porto.

Ele agradeceu ao deputado federal Luiz Cláudio, do seu partido, por proporcionar a concretização da inauguração do Porto.

 
"O prefeito teve um papel importante, mas sem a mediação decisiva do nosso deputado Luiz Cláudio nós não estaríamos aqui inaugurando esse Porto hoje", disse ele.

A obra, orçada em R$ 3,8 milhões, foi realizada com verba conquistada junto ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e foi coordenada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) do Amazonas.






 

Fonte: Assessoria