06/06/2018
Demitidos, sem receber salários e direitos, ex-trabalhadores das empresas Três Marias e Rio Madeira realizam protesto e campanha de doação de alimentos
Os ex-funcionários das empresas que formavam o antigo consórcio do transporte coletivo da capital iniciaram um acampamento nos arredores da Justiça do Trabalho, em Porto Velho.
Trabalhadores do antigo consórcio Guaporé, formado pelas empresas Três Marias e Rio Madeira, começaram desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (05), um ato em protesto a demora da justiça na execução do processo que pede o pagamento das rescisões dos trabalhadores das antigas empresas.

Os ex-funcionários das empresas que formavam o antigo consórcio do transporte coletivo da capital iniciaram um acampamento nos arredores da Justiça do Trabalho, em Porto Velho.


+Notícias

Em protesto, trabalhadores montam acampamento na Justiça do Trabalho para garantir andamento rápido de processo sobre rescisão



São cerca de 900 trabalhadores entre os que foram demitidos e estão desempregados e os que foram absorvidos pelo atual consórcio. Em média cada um tem 20 mil reais de passivos trabalhistas para receber.

O ato, além de ter o objetivo de chamar a atenção da Justiça do Trabalho, serve para uma campanha de arrecadação de alimentos para ajudar os trabalhadores que vem passando dificuldades. 

Para os interessados em fazer a doação de um quilo de alimento não perecível basta ligar no número 3222-3111 para ter mais informações, ou ir até o acampamento montado pelos trabalhadores, que fica localizado nos arredores da Justiça do Trabalho, no centro da capital, próximo ao cemitério.


O caso se arrasta desde que a prefeitura, na época comandada por Mauro Nazif (PSB), resolveu romper o contrato com o antigo consórcio. Desde então os trabalhadores lutam na justiça para receber seus direitos, numa questão que vai entrado para o terceiro ano sem nenhuma resposta concreta.








 

Fonte: Redação Notícias RO