30/04/2018
Mais de 500 pneus descartados ilegalmente são recolhidos pela Prefeitura
O material foi levado para o Mato Grosso pela empresa Reciclanip, responsável pelo transporte de pneus a partir dos pontos de coleta em Porto Velho até as indústrias desse estado (Mato Grosso). O produto alimenta as fornalhas para produção de calor.
Mais de 500 pneus foram recolhidos neste mês de abril pela Prefeitura de Porto Velho em um terreno baldio localizado na rua Tucunaré, próximo ao Cemetron, após serem detectados por meio de monitoramento feito pela Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema).

O material foi levado para o Mato Grosso (MT) pela empresa Reciclanip, responsável pelo transporte de pneus a partir dos pontos de coleta em Porto Velho até as indústrias desse estado (Mato Grosso). O produto alimenta as fornalhas para produção de calor.

O secretário da pasta, Robson Damasceno, afirmou que além dos problemas que causam ao meio ambiente por contaminarem o ar, o solo e o lençol freático, o acúmulo de pneus em local inadequado constitui também grave ameaça à saúde pública devido à sua relação direta com a propagação de doenças.

Dengue

Ainda segundo o titular da Sema, estudo realizado pelo Ministério da Saúde em 2003 revelou que dos 1.140 municípios pesquisados, os pneus mal armazenados eram o principal foco do mosquito da dengue em 25% deles (284 municípios); em 43% (491 municípios) estavam em segundo lugar, e em 41% (465 municípios) ficaram em terceiro lugar.

“Como se pode perceber pelos dados acima, o pneu está diretamente responsável com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, por isso a destinação inadequada desse produto é uma questão de saúde pública”, declarou Robson Damasceno.

“Estamos desenvolvendo ações de monitoramento ambiental e detectando inúmeros crimes contra o meio ambiente em Porto Velho e, a partir daí, adotando as medidas legais contra os infratores”, destacou a técnica Célia Lúcio, do Departamento de Políticas Públicas Ambientais e Mudanças Climáticas da Sema.





 

Fonte: Sema