24/04/2018
Reeducandos da Apac de Ji-Paraná receberão aulas via internet
A implantação da sala de aula via internet foi determinada pelo governador ao secretário de estado de Justiça (Sejus), Adriano Castro, que deve formalizar a parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Educação (Seduc) ainda nesse mês.
Os reeducandos do Centro de Reintegração Social (CRS) de Ji-Paraná receberão aulas por meio da internet.  O modelo de gerenciamento do CRS, aplicado pela Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), deverá ser implantado em outras cidades. A iniciativa é do governador Daniel Pereira ao

No sábado (21), o governador Daniel Pereira visitou o CRS, conheceu de perto a metodologia aplicada na recuperação dos reeducandos e a estrutura física da unidade prisional. “O sistema de autogestão é uma nova forma de cuidar de apenados. É humanizado. Vamos expandir esse sistema a outras unidades”, declarou o governador.

A implantação da sala de aula via internet foi determinada pelo governador ao secretário de estado de Justiça (Sejus), Adriano Castro, que deve formalizar a parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Educação (Seduc) ainda nesse mês. “Tem de agir rápido”, delegou o governador.

O Centro de Reintegração Social tem capacidade para atender 80 apenados dos regimes fechado e semiaberto. Pelo gerenciamento da APAC os reeducandos não ficam ociosos e geram economia mensal de mil reais por cada apenado.

“As atividades iniciam às 6h e só encerram às 22h”, explicou o encarregado de segurança, Roberto Carlos Costa, acrescentando que o monitoramento de todas as atividades fica na responsabilidade do Conselho de Sinceridade e Solidariedade.

Na visita, o governador foi recepcionado pelo juiz da Vara de Execuções Penais, Edewaldo Fantini Júnior, que ficou entusiasmado com o anúncio da implantação de aula em sistema virtual no CRS.

“Primeiro a satisfação de receber a visita do governador e poder apresentar o funcionamento do CRS. Em seguida a gratidão pela sala de aula e a certeza de que o governador tem o interesse de ampliar o sistema APAC a outros presídios”, declarou o juiz Edewaldo Fantini, um dos responsáveis pela implantação da APAC em Ji-Paraná. “O sistema APAC funciona com sucesso há 30 anos em Minas Gerais. O modelo foi trazido de lá”, pontuou o juiz.





 

Fonte: Paulo Sérgio